O skate é visto pela maioria das pessoas como um esporte, e não é de se esperar mais, já que as grandes mídias, tanto televisivas quanto interwebs, divulgam o skate como o mesmo. 

Mas depois de dez anos respirando e transpirando muito skate, gostaria de fazer uma breve releitura desse tal “esporte”, que na minha opinião, não passa de uma dança urbana. 

É mais fácil e comum comparar o carrinho com um esporte pelo fato de trabalhar bem os elementos de musculatura, suor e às vezes equipamentos de segurança. Mas se analisarmos bem os vídeos de skate e/ou como os skatistas interagem com a música e os ambientes, conseguimos entender melhor a comparação com os diferentes tipos de danças (aliás, acredito que seja a única dança que interage com as mais variadas construções,  elevações e texturas dos diversos ambientes que se moldam conforme a manobra).

1- Um dos fatores mais simples que poderia resumir esse texto, seria o modo que denominamos os nossos estilos e damos nomes aos movimentos das manobras como “essa trick é gangsta” ou como nos vestimos, por exemplo: “esse skatista é punk”, e até mesmo aos movimentos plásticos do corpo, conseguimos nos classificar e nos encaixar no estilo da nossa dança.

2- Não contente com a relação dos estilos e movimentos ou com as classificações musicais, podemos fazer pequenas análises com vídeos de skate; e como eu gosto de interagir com você aí atrás desta telinha, vou fazer a recomendação de dois vídeos para melhor entendimento:

Wade Desarmo em Parental Advisory da DGK (2012)
Austyn Gillette na Europa pela Habitat (2012)

Bom, se você chegou aqui provavelmente assistiu os vídeos e reparou que há ação de ritmo nos movimentos junto a música e o skate, que segue o compasso sonoro com movimentos fluidos, e tudo que compõe esse vídeo parece fazer sentido como o ballet do cisne negro, dramático, empolgante e inspirador.

Depois desse texto que tira o skate do seio da olimpíada e coloca na teta da dança, eu refleti e cheguei a seguinte reflexão: O skate pode parecer esporte, dança, brincadeira ou vagabundagem, mas em sua essência o skate é único e original! Inexplicável!

Deve ser por isso que nós falamos que skate é estilo de vida, pois se o ser humano não conseguiu dar uma definição pra vida, nós não vamos conseguir definir o skate, apenas falar que é a melhor coisa que aconteceu em nossa existência.

Ande de skate gostoso d+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
[wpgmza id="1"]
[contact-form-7 id="135" title="Contact form 1"]