Skate e futebol se misturam?

“Como o futebol e o skate tem bastante coisa em comum?”, você como um skatista vai pensar.

“O que porra a gente tem em comum com essa merda?”

E o cara do futebol pensa: “boa pergunta, o que tem a ver?”

Tem tudo mermão!

Primeiro porque são culturas, segundo que toda marca tem um time. No caso do skate tem vídeos clássicos e times clássicos dessas marcas que fazem história. Mesma coisa com o futebol, que tem times célebres que proporcionam jogos históricos e momentos memoráveis, criam ídolos da mesma forma, seja com manobra ou jogadas.

Pensei com meu amigo Studogg, porque não fazer um texto explicando um pouco dessas paixões que a gente tem? Com times clássicos de futebol e de skate que marcaram seu tempo. Então vamos fazer esse paralelo doido e ver no que dá.

via GIPHY

Ah, como não lembrar do time lendário da Emerica na época do Stay Gold?

Dirigido pelo Jon Miner e com uma das lendas da VX, o Mike Manzoori, foi um vídeo que encerrou uma década única no skate mundial. Primordialmente naquele tempo foi crucial pra Emerica a ideia de fazer um vídeo completo mostrando a identidade da marca e de seu time. E que time aquele, que tinha lendas como Heath Kirchart, Andrew Reynolds, Jerry Hsu, Aaron Suski, Bryan “Hermdog” Herman, e a lista continua…

Aquela intro tocando Dead Meadow já é surreal demais de início, é épico sem o video estar lá pro seu meio. Se você estava vendo pela primeira vez, você não ficava ansioso pra nada, ia curtindo cada momento do filme, que te pega pelo pescoço do início ao fim.

No início da parte do Bryan Herman, já tem ele mandando aquele flipão nose manny catando a calçada da fama. Porra mano! PORRA MALANDRO, TÁ LIGADO TIO, ADMITE, FOI FODA!

Mandando Hardflip pra lá, Hardflip pra cá, por cima das mesas de escola, tocando Tom Waits… parecia um vídeo temático mano, que o cara só tava mandando a trick favorita dele em todo e qualquer canto. É isso que torna o baguio genial, aquele estilo chilling do Hermdog é foda demais. Acho que ele faz o hard parecer easy, de boas, até pelo jeito que ele embala pra mandar a trick.

Quando tem a virada, o vídeo tocando o majestoso Black Sabbath, mano aquilo foi mindblowing, ou traduzindo pro nosso jeito favela: CACHORRO QUE RAIOS FOI AQUILO?! aquele hardflip naquele GAPÃO foi surreal demais, porra mano, Hermdog é zika demais.

Em seguida vem o jovem notável com algo bem sútil, que era da Foundation na sua Golden Era. Esse mano é nada mais nada menos que o Marquis Preston. na parte toca uma música linda que se encaixou perfeitamente que é John Cale. O jeito que ele rema, que manda as manobras, é algo que chega a ser (não achei outra palavra pra isso) sereno demais. Todo bigspin que ele manda, seja de switch, nollie, base ou fakie é algo muito natural e calmo ao mesmo tempo. Acho que com certeza um dos skatista mais marcantes dos anos 00’s, com certeza, e vou deixar essa parte do gran finale com o lendário Boss Andrew Fucking Reynolds.

Se eu falar todas as partes fica foda pai, haha. Olha, essa parte é treta de falar porque é surreal demais, é muito pico foda pra mandar manobra, e o primeiro que eu cito é o Backside Flip em Wallenberg, porque mano, aquela porra é alta demais mano, é um gapão maléfico. E claro o Flipão no UC Davis Gap, mano aquilo é surreal demais e fecha esse vídeo lendário.

Agora já mudando pra outro time lendário, vou lembrar de algo tão foda que até hoje quando vejo os melhores momentos me transporta pra 2007: aquele time mítico que tinha Dida, Inzaghi, Gattuso, Pirlo, Kaká, Seedorf, Maldini, e liderados pelo Carlo Ancelotti. Aquela final entre Liverpool x Milan é algo que foi majestoso, primeiro que ia ser um jogo de volta pro Milan, ia ser a oportunidade de levar a taça do Liverpool que lhe foi tomada em 2005, no milagre de Istambul em que o Milan estava com o Título na mão, fez 3X0 no primeiro tempo, o Liverpool igualou no segundo tempo e ganhou nos pênaltis. Então era algo que o Milan tinha de voltar pra casa com aquele título, e não foi diferente.

Pirlo de falta abre o placar pro Milan e ali começava a história desse título em Atenas. Inzaghi faz o segundo nos 45 do primeiro e nem sabe como comemorar de tanta felicidade, vai até a bandeirinha da lateral e começa a berrar feito um doido. Aquilo foi marcante demais, algo legendário que marcou gerações, tanto mais novas quanto mais velhas. Lembro que eu voltei da escola com os meus amigos e vimos na tv, com a antena não ajudando, mas vimos e foi marcante. Ancelotti e seu time teve o título conquistado e foi algo lendário naquela era vitoriosa do Milan.

Os anos 2000 foram maravilhosos pra tudo, apesar de que não tínhamos a acessibilidade que a gente tem pra tudo de hoje em dia, foi um tempo lendário  pras duas culturas que eu tenho um grande amor, que é o skate e o futebol.

Bom, vou acabando esse texto aqui tentando fazer esse paralelo de ambas as coisas que moldou meu caráter de uma forma massa.

Valeu você por ter lido e a porra toda a, muito grato e boa sessão, e se for jogar, bom jogo catchorro.

Texto por Paulo Ricardo (@xindividvalx) o nosso Paulinho, boleiro, skatista, barulhomaker da Vila Clara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
[wpgmza id="1"]
[contact-form-7 id="135" title="Contact form 1"]